Triciclo Literário


Grande parte das crianças e jovens moradores do Complexo de São Carlos, embora sejam alfabetizados e estejam frequentando a escola, não demonstram muito interesse ou familiaridade com os livros e a prática da leitura. Parte pelo sistema educacional que não privilegia a leitura como atividade lúdica e a ausência de equipamentos culturais voltados ao seu incentivo, parte pela pouca familiaridade ou tempo das famílias em se dedicarem a esta prática.

Quando a prática da leitura é presente, ela não está entre as atividades consideradas de lazer ou prazerosas, mas muito ligada às obrigações escolares ou profissionais. Este quadro não é restrito ao São Carlos, é representativo da realidade brasileira, na qual somente 55 % da população pode ser considerada leitora (leitor é aquele que leu, inteiro ou em partes, pelo menos 1 livro nos últimos 3 meses) e dentro deste grupo somente 25% declaram ler por gostar da prática da leitura. Dentre aqueles que não lêem as principais razões declaradas são a falta de tempo (32%), por não gostarem (28%), por não terem paciência para ler (13%), ou por preferirem outras atividades (10%)*. Todas razões relacionadas a falta de hábito, familiaridade ou afinidade com o livro e a leitura.

A proposta do Triciclo Literário é aproximar as crianças e jovens da prática da leitura, e estimular o interesse pelo saber, além do prazer de ler, por meio de novas formas de interação com o livro, com a biblioteca e com a cultura literária de maneira geral. Por intermédio  de práticas combinadas de leitura (individual e em grupo) e oralidade, o projeto propõe atividades de reflexão crítica sobre os livros e também sobre as histórias de vida dos participantes, familiares e conhecidos, moradores do mesmo território.

Ao incentivar o contato com a literatura e com a(s) história(s) da comunidade e de seus moradores, além de ressignificar a prática da leitura, pode-se gerar um maior entendimento e conscientização de seus espaços sociais, e assim estabelecer um ambiente propício para a autonomia de pensamento, o senso crítico e a identificação com o território, seus problemas e  necessidades. O primeiro passo para formação de jovens cidadãos integrados, conscientes e transformadores.

*Fonte: Pesquisa retratos da leitura no Brasil –4º edição (2016).


Resumo Executivo:

Atividade quinzenal, que acontece aos sábados, no período das 14hs às 18hs. Inicialmente percorremos algumas ruas do Complexo de São Carlos com livros do acervo, selecionados a partir de um processo de escuta com todos que participam das atividades, sejam crianças, jovens ou mesmo adultos. Os livros são expostos no próprio triciclo e ficam à disposição de todos para serem emprestados: a dinâmica do empréstimo é simples, um livro por vez,  por um período inicial de duas semanas que pode ser renovado. Posteriormente acontece a contação, quando a equipe se reúne para ler partes de alguns livros de uma forma lúdica e envolvente. Em alguns sábados contamos com a participação de contadores de estória profissionais ou oficineiros para aproximar as crianças do rico universo literário, convidando-as  a participação. Seguimos com a recreação, quando estimulamos as brincadeiras das crianças a partir dos livros.